Tecnologia: Até que ponto é saudável

Introdução de uma NÃO especialista.

Não tenho 100% de propriedade técnica para falar com profundidade sobre esse assunto e todas as suas variáveis.

Mas, arrisco aqui umas pinceladas do que tenho visto, lido, ouvido e compartilho com vocês para que a gente reflita juntos sobre tanta inovação.

Onde vamos ou podemos parar.

1001 possibilidades

Falar sobre tecnologia abrange tantas possibilidades, que com absoluta certeza o conteúdo desse artigo será desdobrado em vários outros artigos.

Na reflexão deste mês, vou dar foco em uma das frentes que acredito ser a mais intensa e a que promove muitas mudanças em nosso mundo, principalmente pensando no futuro.

Vamos falar sobre inteligência artificial, a famosa IA, a qual vou me referir com a sigla nos próximos tópicos.

A tecnologia pode acabar com a cidadania, a democracia e a vida. Quer mais? *

Este é o título de um artigo escrito pelo Pyr Marcondes no M&M, um profissional da área que eu admiro muito e o conteúdo, juntando com tudo mais que tenho lido sobre o tema, me fez refletir e pensar em muitas coisas para dividir com vocês.

Ele menciona:

“as mesmas tecnologias que hoje nos ajudam em um sem-número de atividades da vida cotidiana estão cada vez mais sendo usadas para o controle dos cidadãos, consumidores e não se engane, nações inteiras…”

É bem complexo pensar nisso tudo.

Seria o Apocalipse?

Apocalipse é comumente narrado como uma série de episódios profetizados que culminarão no fim do mundo, ou seja, o fim da vida terrestre como é atualmente conhecida. **

E há realmente uma série de acontecimentos ligados a tecnologia que deveriam nos deixar preocupados.

Há o acompanhamento dos nossos movimentos pelo uso do celular, criações mirabolantes de produtos e serviços que mudam nossos hábitos e das gerações futuras e permeando isso tudo, temos a IA.

IA. O que é? Como funciona? Para que serve?

A inteligência artificial é a criação de um programa (software) incrível, que ensina os computadores a pensarem como nós. Faz uso do melhor do nosso cérebro de forma artificial.

E lógico, que como máquina, tem muito mais capacidade de processar informações com maior agilidade e menor margem de erro.

A criação do programa para determinada função é baseada no nosso processo de trabalho dos neurônios, que no cérebro humano captam, interpretam e distribuem informações.

Assim, o computador aprende com o comportamento humano, vai testando as possibilidades e ficando cada vez mais esperto para realizar tarefas diversas.

A IA serve para inúmeras coisas? Está cada vez mais difícil responder a essa pergunta, pois ela permeia a estrutura de diversas ações tecnológicas.

O chamado Machine Learning – aprendizado de máquina – tem possibilidades infinitas de atuação, totalmente pautado na IA.

 

IA. Algumas aplicações:

A IA pode fazer músicas, escrever poesias, livros, pintar quadros e muito mais. 

Ou seja, a IA está entrando do mundo da criatividade.

No ano passado, um quadro pintado via IA foi vendido na casa dos US$10.000 numa tradicional casa de leilão.

Há testes cegos que comparam quadros produzidos por humanos x máquinas.

Um teste teve como resultado que entre 59% e 75% dos quadros apontados como sendo feitos por pessoas, foram produzidos pelos algoritmos da IA. ***

Ah …os algoritmos já falamos sobre eles em outro artigo (1), saiba mais no link abaixo.

http://adrianajarva.com/2851-2/

Trecho do livro: O dia que o computador escreveu uma novela.

“Eu me contorcia de alegria, o quê experimentava pela primeira vez, e continuava a escrever excitado. O dia que o computador escreveu uma novela. O computador, que passou a priorizar a busca por sua própria alegria, parou de trabalhar para os humanos”.

 

No cinema;

Há pesquisas para automatizar algumas das várias etapas de produção cinematográfica, como por exemplo, edição e correção com o uso de IA.

Mas a mais promissora com certeza, é a criação dos roteiros.

Na fotografia:

O BigGAN foi uma das ações que mais me chamou a atenção.

Trata-se de fotos geradas pela IA, através do reconhecimento de informações solicitadas x armazenadas.

Assim, a máquina cria uma foto em alta resolução, as vezes fotorrealistas.

Incrível, não é?

Lógico que às vezes saem algumas aberrações por alguns equívocos, como alguns olhos a mais em um sapo, por exemplo.

Nenhuma das imagens abaixo é real. Todas foram criadas através da IA.

imagem

Fonte: aiweirdness.com

Pensamento controverso:

É um grande questionamento o quanto tudo isso é saudável para nossa vida, pois uma das principais atividades humanas, que é a criatividade, está ameaçada. Muitas e muitas profissões terão a base de sua atuação substituídas por máquinas.

Assim como foi no passado, na revolução industrial, onde as máquinas substituíram braços.

E agora, elas podem substituir com mais inteligência nosso cérebro, nosso raciocínio lógico.

Será que os jovens serão desestimulados a pensar, a criar, a produzir os conteúdos da arte que até hoje fizemos?

 

Esse vídeo abaixo sobre O Profissional do Futuro nos traz algumas refelxões que contribuem com esse artigo.

 

 

Mas, também podemos considerar que:

Apesar dos computadores conseguirem fazer 99% da técnica, nós vamos continuar a enfatizar a história de que o gênio humano é a fonte real da arte.

– Phil Jones

As emoções e sentimentos ainda estão protegidos. Só não sabemos até quando.

Estamos ensinando as máquinas a pensar como nós e talvez, em algum ponto do processo, se perca o controle sobre isso.

Essa é uma das preocupações do Pyr*

Eu não posso deixar de perguntar:

Para quê e por que estamos nesse movimento todo?

Essa é uma grande dúvida que tenho e talvez seja comum a todos nós.

Onde queremos chegar com tudo isso?

Talvez por ganância. Por economizar em alguns processos, rentabilizando a mão de obra humana e sua criatividade, que sempre foi muito valiosa.

Ganhar produtividade. Para poder mostrar poder?

Infelizmente, não tenho uma resposta concreta.

Mas enquanto isso…além de tudo:

Para geração e alimentação de tantas máquinas, carros voadores, tecnologias mirabolantes, estamos consumindo muitos e muitos recursos da natureza e estes sim, são escassos e não recuperáveis.

 

Por isso, finalizo com o texto de um post que li por estes dias e o qual, não tenho a fonte:

“ Quando a última árvore tiver caído, quando todos os rios tiverem secado e o último peixe tiver sido pescado, talvez eles descubram que dinheiro não se come”.

 

Isso se aplica para o mundo todo, pois preocupado em construir coisas que julga importantes, acaba matando outras que são essenciais.

Esse é o meu pensamento. Vou gostar se compartilhar o seu.

 

Com esperança de dias melhores, com a sabedoria divina inspirando para boas escolhas, deixo um beijo.

 

Fabiana Maia

Ƹ̴Ӂ̴Ʒ A vida sempre em transformação.

 

(1) Artigo Algoritmos = Ler artigo; “A magia das letras e números”

* Pyr Marcondes é jornalista, consultor e diretor executivo do M&M Consulting.

* M&M = Meio e Mensagem é um jornal dirigido ao mercado publicitário e MKT.

** Definição Apocalipse na web – Portal Significados.

*** Fonte; Matéria UOL – Teste realizado pela Universidade Rutgers nos EUA.

Veja também: