Sem tempo? Como fazer o relógio girar a seu favor

Primeiro uma rápida reflexão

Você tem se dado conta da quantidade e da qualidade do menu tecnológico?

São inúmeros seriados, novelas, mensagens no WhatsApp, Instagram, Facebook, SnapChat e alguns outros desses recursos tecnológicos que tem tomado nosso precioso tempo.

Você já ouviu essa piada? ” Hoje em dia quando alguém me liga é uma verdadeira prova de amor “.

O melhor presente que podemos dar à alguém, nosso tempo, ou seja nossa presença.

Quanto será que todo esse menu tecnológico tem contribuido para aumentar a depressão ou ansiedade na vida de algumas ou de muitas pessoas?

Temos percebido um aumento de pessoas dependentes em remédios para depressão e isso é preocupante.

Sou de uma geração de quando tínhamos  entre 20 ou 30 anos de idade, a gente não via e nem ouvia tantos jovens ou pessoas de várias idades tomando tantos remédios como hoje em dia, aliás nem se falava nisso.

Pode ser por ignorância da minha parte, mas o fato é que não tínhamos todo esse menu tecnológico.

Quando crianças, nossos brinquedos eram interativos com outras crianças e a gente se divertia dentro de uma simples caixa de papelão.

Enquanto brincávamos com outras crianças na rua, ou nas casas umas das outras, aprendíamos sobre:

  • Interagir em grupo, algumas vezes eramos líderes ou liderados. 
  • Aprendíamos ganhar e também a perder.
  • Aprendíamos dividir, compartilhar, conversar, falar ou expressar nossas emoções, afinal criança quando não gosta fala.
  • Aprendíamos o lado positivo e também o negativo da competição nos jogos e brincadeiras. E nos divertíamos muito.

 

Carência: a maior armadilha

Todos sabemos o quanto a internet é uma porta/janela para o perigo.

Muitas pessoas por carência afetiva ou emocional acabam se expondo de forma ingênua.

Sem se dar conta abrem espaço para pessoas desconhecidas e algumas dessas com intenções duvidosas podem se aproveitar de situações.

E daí podem começar relacionamentos abusivos. Se conscientizar disso faz toda a diferença para que a pessoa se preserve ou se proteja melhor.

Redes sociais com desconhecidos : dúvide, questione, pesquise.

Todo cuidado se faz necessário. Existem pessoas maravilhosas no mundo, mas infelizmente existem pessoas opostas. Ter cautela e saber se cuidar sempre é fundamental. 

 

As redes sociais e a depressão

Não é novidade pra ninguém que a depressão é a doença do século.

Temos observado muitos jovens usando de forma ilimitada ou exagerada as redes sociais;  a consequência tem sido um vazio ou um sentimento de impotência porque quando se dão conta acabou o dia, não estudaram e não trabalharam como deveriam.

Aprender a suprir a própria carência é fundamental e a terapia é um dos melhores caminhos para cuidarmos das nossas emoções.

Escrevi um artigo sobre esse assunto.  Saiba mais no link.

Quando tive depressão e me curei

 

Inversão de valores

Ser mais interessante é melhor que ser o mais curtido, porém quando há inversão de valores, as pessoas podem achar o contrário.

A preocupação de algumas pessoas com as redes sociais tem sido pelo número de likes, ou números de seguidores e não pelo que é de fato interessante.

Muitas vezes, essas situações podem levar essas mesmas pessoas a se isolarem, ou se sentirem vítimas da situação. Um outro caminho para depressão, crise de ansiedade, baixa auto estima, etc.

Os exageros

Passar horas se perceber as redes sociais, acordar e já pegar o celular e antes de dormir são alguns dos sintomas de exageros ou até mesmo vício.

Recomendo assistirem esse vídeo da Fernanda Fe-liz da vida, ela fez um detox das redes sociais e compartilha o quanto foi libertador.

https://youtu.be/L8sit8q46tA

A melhor terapia – tomar um sorvete com um amigo/a

Nada substitui estar com quem confiamos ou amamos, não é mesmo?

Poder falar dos nossos sentimentos, medos, descobertas, conquistas ou fracassos.

O convite é voltar a nossa origem e colocar nesse menu o contato “face to face”.

Nada substitui olhos nos olhos. Isso Não tem preço.

E você  também tem refletido sobre isso?

Vamos inverter essa onda e dizer: SIM eu tenho tempo para conversar com um amigo/a, para caminhar com ele no parque, para assistirmos um filme juntos etc.

Vamos ter tempo para sentar no chão e montar um quebra-cabeça, brincar com as crianças.

Ouvir os mais experientes e aprender com seus sábios e preciosos conselhos, afinal eles já viveram mais do que nós, temos sempre algo para aprender.

 

Ah mas ” eu não tenho tempo, sou muito ocupado/a ” 

” Estou muito ocupado, não tenho tempo para meditar, orar, fazer exercício, estudar inglês, ajudar com voluntariado, etc.”…mas perde 4, 6 ou mais horas nas redes sociais, como assim?

A grande desculpa

Desculpa. Não gosto dessa palavra por duas razões: por ser dúbia e por ser uma grande armadilha para o aprendizado, sucesso ou prosperidade.

Antítodo

Parar de pedir desculpas e ter atitudes transformadoras.

Transformando o comportamento, automaticamente está pedindo desculpas e começando adquirir hábitos saudáveis.

Vamos ser honestos conosco mesmos, tudo é uma questão de prioridade. 

Quando a pessoa está a fim de qualquer coisa, ela consegue. A questão é a prioridade, a ordem de importância.

” Não existe falta de tempo, existe falta de interesse.

Porque quando a gente quer mesmo, a madrugada vira dia.

Quarta-feira vira sábado e um momento vira oportunidade” (Pedro Bial).

 

Vamos às dicas:

Dica 1 – Se libertando do vício do uso da tecnologia em geral.

Como sair do vício – Prioridade e foco. Valorize seu tempo e aprenda a administrá-lo a seu favor.

Se você gasta horas nas redes sociais, recalcule o tempo gasto e diminua.

Se está viciado, experimente colocar um alarme e focar em seus projetos pessoais, estudos ou esportes, ou o que você precisa aprender para desenvolver suas habilidades.

Por exemplo: Para cada três horas de trabalho ou estudo, use 5 ou 10 minutos para as redes sociais, ou a cada 1 hora, use 5 minutos.

Coloque um alarme no começo para te lembrar.

Depois de algumas vezes ou dias repetidos você terá perdido esse vício e estará assumindo novos e saudáveis hábitos.

Dica 2 – Substituir o vício das redes sociais por algo saudável/produtivo.

  • Esporte: Correr, caminhar, academia, yoga, jogar tênis, futebol, voley, dançar etc. Escolha algum esporte ou atividade onde você sinta que seu corpo  e mente gostem.
  • Aprender um novo idioma. Estudar inglês por exemplo. Se você fica duas horas por dia nas redes sociais, que tal usar esse tempo para aprender um novo idioma? Percebe como está investindo em algo de valor para você ?
  • Espiritualidade: todos nós precisamos desenvolver nossa espiritualidade, parar de ficar deixando tudo nas mãos de Deus. Precisamos agradecer mais, parar de reclamar e agir mais a nosso favor. A espiritualidade é um dos pilares para nossa estabilidade emocional, mental e física.
  • Tabalho voluntário: quem não sabe doar, não sabe receber. Precisamos investir um tempo para nos dedicarmos a quem precisa, seja alguém da família ou algum desconhecido.

Podemos começar com 1 hora por semana, ou meio período de um dia do mês. Por exemplo, um sábado pela manhã ou à tarde, não é muito e é possível.

*Se você quer ser voluntário, ajudar alguma instituição séria e não conhece ou não tem nenhuma, segue essa sugestão do Grupo Sol. Conheço, confio e recomendo. (São Paulo, Brasil)

 

Dica 3 – Limites, horários e disciplina

Estabelecer disciplina. Procure ver qual o melhor horário para você interagir nas redes sociais e estabeleça limites no tempo de uso e horário.

A disciplina é um dos segredos de sucesso, prosperidade e resultados positivos, porém muitas pessoas tem dificuldade em manter. Procure ajuda terapêutica se for necessário. Está comprovado que um novo hábito precisa de 21 dias ininterruptos.

A falta de limites tem desconectado as pessoas

Temos visto casais que não interagem mais um com o outro e crianças que copiam o mesmo exemplo.

Muitas vezes dentro da mesma casa ou no mesmo carro podemos observar que cada um está teclando no seu mundo. É uma família desconectada.

Gostaria de concluir esse artigo de hoje interagindo com você.

Qual sua opinião sobre o tema, o que você pensa a respeito do uso exagerado e ilimitado da tecnologia ou das redes sociais?

Comente ou envie o link para aquele seu amigo ou familiar convidando-o para fazer algo divertido como tomar um sorvete, ou assistir um filme no cinema, ou fazer uma caminhada no parque, ou crie algum motivo e celebre a vida com qualidade de tempo.

Um abraço carinhoso e até o próximo post.

 

 

 

Veja também: