5 dicas para um despertar

Cada dia mais a pressão por fazer mais, ser mais, construir mais, domina nossas horas, nosso tempo, nossa mente.

Quando menos esperamos, estamos mergulhados em uma “to do list” (lista de tarefas) cujo dia torna uma grande corrida contra o tempo. Cada “check” de concluído da lista nem chega a gerar alguma satisfação, na verdade, é uma sensação de um débito (se é que ele chega a acontecer). A sensação de estar devendo preenche os dias de forma cada vez mais intensa

 

E qual o custo disso?

 

Pagamos um preço alto neste processo sem fim. Que vai desde às síndromes de pensamento acelerado à ansiedade; síndrome do pânico; depressão entre outras doenças sérias. A humanidade está pagando um preço nunca visto por esta disfunção comportamental e essa pressão desmedida da nossa sociedade.

 

E como lidamos com isso?

 

Com medicações que de forma “mágica”, desligam o nosso cérebro por nós. Já que nos tornamos incapazes/ incompetentes em acessar nossas ferramentas internas, buscar recursos internos para criar novos caminhos. Afinal, isso levaria tempo para ser feito. Notaram o ciclo vicioso?

 

E quando isso pára?

Geralmente, de uma forma dolorosa ou ainda mais agressiva: ou por meio de uma doença (nosso corpo pára por nós), por meio de uma grande pancada da vida, ou uma perda que te faz questionar onde está sua prioridade e o que você está fazendo com sua vida.

Não Precisa Ser Assim

A grande questão aqui é não precisar chegar ao extremo, ao preço mais alto ou a um momento onde você não pode mais voltar atrás para perceber o que está bem na sua frente. E enquanto escrevo aqui, um ítem da minha lista sai. Eu vivo isso diariamente.

Uma vida insana que combina trabalho e suas derivações e complexidades, família (os desafios naturais de convivência, escolhas, modos de pensar e os impactos que nossas atitudes exercem nos outros e vice versa), filhos (equilibrar a forma de agir para garantir uma educação que de fato faça diferença na vida dele – e todas as emoções de prazer, culpa, satisfação e aprendizado contínuo que uma maternidade traz), amigos (conseguir ainda ter tempo para dar atenção a essas pessoas maravilhosas que estão em nossa vida) e, após tudo isso, conseguir projetar sua mente para evitar entrar em piloto automático e você apenas existir ao invés de VIVER.

Pára tudo!

Ou você decide parar de viver nessa esteira sem fim, ou a vida vai te levar constantemente a esse abismo. Se você deixar a correnteza levar, já sabe o caminho. Por isso, é necessário “acordar”. Tantos processos de desenvolvimento chamam o despertar, expandir a consciência, etc. Dê o nome que quiser, mas saia disso. Por favor, se você está lendo isso, pare agora. Um instante.

Note como está a sua respiração. Provavelmente curta e suficiente para te manter com vida. Experimente inspirar profundamente. Com gentileza. Faça um “scanner”no seu corpo, ou seja, vai prestando atenção nos seus ombros, nos braços, nas costas, no quadril, pernas, braços e pés. Note o que você está sentindo nessas partes. O que elas “pedem” para você agora?

 

É necessário aprender a ouvir o corpo

Nosso corpo, na sabedoria absoluta da natureza, nos envia sinais todos os dias para nos mostrar algo. Mas estamos tão desconectados de nós mesmos que não ouvimos os chamados, os pedidos. Aí ele precisa GRITAR, adoecer, para que a gente, consiga parar (isso quando paramos mesmo nesses casos).

E como lidar com isso?

Lembre-se que falamos há pouco que buscar uma coisa única que resolva isso em um piscar de olhos é o mesmo equívoco que toda a sociedade vem cometendo. Essa busca por uma pílula mágica que resolva tudo (emagreça, deixe a gente incrível, acabe com a insônia, nos faça produzir mais, etc).

A saída é sempre para dentro.

Sempre. De forma integrada entre corpo, mente, comportamento e energia. Sim, somos feitos de energia. Você não enxerga wi-fi, mas sabe que está lá. Por isso, cada vez mais há ferramentas estruturadas para ajudar a se conectar com nossa melhor versão. Em corrigir rotas e comportamentos indesejados. A buscar um “mindset” (modelo mental) mais apropriado para enxergar o mundo de forma produtiva, positiva e próspera.

Eu, particularmente cansei de viver assim e como alguns de vocês sabem, trabalhando com isso desde 2003 no mundo corporativo me uni com outros profissionais incríveis e decidimos ajudar as pessoas a transformar tudo isso.

Ferramentas Que Ajudam

Sem querer fazer propaganda, mas já fazendo, adianto para vocês que em breve lançaremos um programa online com desafios semanais para te ajudar a fazer tudo isso. Com dicas da Dra Sayuri – medicina quântica integrada, João Tamborindeli – meditação, yoga e técnicas de respiração e euzinha aqui, que vos escrevo, com ferramentas práticas de mudança de “mindset” e comportamento. Porque, ou a gente se transforma como indivíduo, ou morremos aos poucos nessa jornada.

Prometo que conto mais em breve e já adianto que vocês, leitores do blog da Dri, terão condições especiais.

Maaaaas, vamos ao que importa, algumas dicas simples para ajudar nesse processo.

 

As 5 Dicas

 

  • Aprenda a se auto-observar com mais consistência. Seu corpo é sábio e vai te dar as dicas se você criar o hábito de ouvir. Dedicar 5 minutos diários é suficiente no início. Permita-se
  • Faça algo por você ao menos uma vez na semana. Se você não cuidar de você ninguém vai cuidar. Não é responsabilidade de ninguém. Não projete isso no seu parceiro, parceira, amigos, chefes, etc.
  • Chega de auto piedade. Levanta daí e começa a cuidar de você. Você é vítima ou protagonista de acordo com suas escolhas. Você não é o que te acontece, você é o que você faz com o que te acontece. Não está feliz? Mude. Crie um plano objetivo para iniciar as mudanças que almeja. Mas, comece! Pare de condicionar a mudança a algo externo. Se não ela nunca vai acontecer.
  • Não é porque você é bom que nada de ruim vai te acontecer. Se você enxergar todas as pessoas como mestres e todas situações com medidas ideais para sua evolução, evita os riscos dos ítens acima. A dor não é opcional. O sofrimento sim.
  • Seja grato! De verdade. Você pode encabeçar causas nobres, se indignar com o que tem de ruim no mundo. Mas não permita que nada disso tire a beleza do seu olhar para o mundo e para os outros.

 

 

O mundo Não Pede Licença Para Passar

A vida não tem legenda nos aprendizados. Precisamos tomar DECISÕES.  Despertar e se conectar consigo e novas formas de pensar e agir ou você se torna refém dos parâmetros atuais. Apesar de não concordar com opções binárias, quando falamos de escolhas para a vida, é isso. Neste grau de complexidade, nasce a simplicidade de partir da sua escolha. Da sua decisão. De como quer seguir, como quer fazer daqui para frente.

 

Eu, humildemente, aprendiz nessa jornada como todos nós, te convido para irmos juntos. Podemos deixar mais leve, se compartilhada por inteiro.

 

Aqui, minha gratidão e respeito por cada escolha. Afinal, apesar do desejo de trazer o mundo nesse caminho, o tempo de despertar é individual. E amar incondicionalmente é saber que não podemos tomar essa decisão por ninguém. Apenas por nós mesmos.

 

Vamos, definitivamente, juntos.

Veja também: